Usinas terão margens melhores em 2016/17

>
Usinas terão margens melhores em 2016/17
Fonte da Imagem: http://www.dicasdemulher.com.br/
Um conjunto de fundamentos deve trazer um cenário mais favorável às usinas de cana-de-açúcar na próxima safra. Para 2016/2017, o ciclo de déficit global do açúcar, iniciado nesta temporada e previsto para as próximas, tem potencial para atingir cerca de 6,5 milhões de toneladas. Além disso, analistas acreditam que, até o final deste ano, já será possível obter uma leve recuperação nos preços do etanol. Surge, então, uma expectativa sobre a intensidade do El Niño, fenômeno climático que pode modificar os resultados.
Durante a 15ª Conferência Internacional Datagro, ontem (21), o presidente da consultoria, Plínio Nastari, disse a jornalistas que a alta de preço nos combustíveis - causada pela recomposição da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) em R$ 0,22 por litro de gasolina - foi totalmente absorvido pelo consumidor, não se refletindo em preços melhores ao usineiro. No entanto, houve um incremento no consumo do biocombustível hidratado, que chegou à média mensal de 1,5 bilhões de litros, e deve puxar uma elevação de R$ 0,15 para os valores do etanol até dezembro.
Um aumento das exportações acima do que estamos vendo pode fazer com que esse preço suba ainda mais. Mandaríamos para os Estados Unidos e mercados novos, como China e Índia , ressalta Nastari. Atualmente, estão sendo realizados três leilões de petróleo na Índia que incluem a compra de dois bilhões de litros deetanol. Para o especialista, o principal mercado que suprirá esta demanda indiana é os Estados Unidos, mas uma parcela também deve ser fornecida pelo Brasil. Aproveitando o efeito do dólar alto, o incremento potencial nos embarques ficaria entre 200 e 300 metros cúbicos.
Estima-se que a safra 2015/2016 se estenda até o início de dezembro e a moagem comece mais cedo, reduzindo o tamanho da entressafra. De olho nesse período, o presidente da Datagro conta que uma parcela de usineiros que possui capital de giro tem estocado etanol em busca de preços melhores nos meses de menor oferta e, de fato, deve conseguir.
Mas melhor remuneração não significa investimento. Nem com dinheiro novo, de estrangeiros. Este será usado para pagar a dívida , lembra Nastari. Atualmente, o endividamento do setor sucroenergético gira em torno de R$ 90 bilhões.
Os únicos aportes que devem repercutir na próxima safra são os de renovação dos canaviais, conforme orientado pelas principais consultorias do setor neste ano. O presidente da Datagro acredita que este índice deve ficar entre 15% e 16% da lavoura, bem próximo dos 16,7% considerados ideias para a entidade. No último sábado (19), o diretor executivo da Tereos Internacional, Jacys Costa Filho, afirmou a jornalistas durante evento em Campinas (SP) que a renovação dos canaviais da companhia acabou de ser finalizada e, portanto, as perspectivas de produção para o ano que vem são positivas.
Se o governo não aumentar a Cide e Petrobras não mudar a estrutura de preços da gasolina, podemos ter uma safra 2016/2017 mais açucareira , destaca Nastari. Dados apresentados pelo diretor executivo da Organização Internacional de Açúcar (ISO, na sigla em inglês), José Orive, mostram um déficit global de 6,5 milhões de toneladas da commodity, com um aumento de consumo anual de 2% ao ano. A produção tem perspectiva de crescimento desacelerado. Mas acreditem se quiser, podem ser necessários investimentos neste setor daqui a algum tempo , projeta o executivo. Para o atual ciclo de 2015/2016, o diretor da Datagro, Guilherme Nastari, já conta com um déficit global de 2,36 milhões de toneladas, um ciclo iniciado agora e que deve seguir pelos próximos anos.


Fonte: DCI - Comércio, Indústria e Serviços

 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •