Safra 2015/16: INTL FCStone eleva projeção de moagem de cana-de-açúcar para 592,2 mi t

>
Safra 2015/16: INTL FCStone eleva projeção de moagem de cana-de-açúcar para 592,2 mi t
Fonte da Imagem: www.opopular.com.br
Em sua revisão de agosto da estimativa de safra de cana-de-açúcar 2015/16 - Centro-Sul, a consultoria INTL FCStone projetou avanço de 1,6% em relação ao número anterior, divulgado em maio deste ano, aumentando a moagem para 592,2 milhões de toneladas.
"Com chuvas acima do esperado em maio e julho, além daquelas que já haviam sido registradas em fevereiro e março, a expectativa de produtividade agrícola da maioria das usinas aumentou em relação às projeções feitas no primeiro semestre do ano", explica a consultoria, em relatório.
Essa elevação se deve, além do maior TCH (toneladas de cana por hectare) previsto pelas usinas, às chuvas abaixo da média entre a segunda metade de julho e agosto, que permitiram moagem diária superior a 3,1 milhões de toneladas no período, nível recorde para o Centro-Sul.
Entretanto, as condições meteorológicas propícias do primeiro semestre, somadas à redução na taxa de renovação dos canaviais e ao menor uso de repressor floral levou muitas áreas a apresentar taxas consideráveis de florescimento, contribuindo para a redução do ATR médio projetado, que ficou em 132,5 Kg/t, uma queda de 3% em relação à temporada passada.
Em relação ao mix produtivo, a consultoria estimou a divisão em 41,9% para o adoçante e 58,1% para o álcool, totalizando uma produção de açúcar em 31,3 milhões de toneladas, redução de 2,2% em relação à safra passada. Quanto ao etanol, a produção é esperada em torno de 16,2 bilhões de litros de hidratado e 10,6 bilhões de litros de anidro, totalizando 26,8 bilhões de litros do biocombustível, um aumento de 2,3% em relação ao ciclo 2014/15.
Analista de açúcar e etanol da INTL FCStone, João Paulo Botelho, aponta que algumas usinas devem aumentar o volume produzido de açúcar para honrar contratos pré-estabelecidos de exportação do adoçante e que a produção de anidro também tende a ganhar fôlego. "A baixa construção de estoques de etanol até o momento deve levar ao aumento das cotações no final da safra, oferecendo possibilidade de lucros significativos com o carrego do produto", resume.
Assessoria de imprensa da INTL FCStone
 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •