Mecanização mudou perfil populacional

>
Mecanização mudou perfil populacional
Com a mecanização do corte da cana-de-açúcar, o perfil econômico de Valparaíso mudou nos últimos anos, passando de uma cultura agropecuária para agroindustrial. Segundo o prefeito Marcos Higuchi (PSDB), essa mudança é perceptível pelo êxodo rural. Conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2000, havia 2.487 pessoas vivendo no campo. Dez anos depois, esse número caiu para 1.107. Nesse mesmo período, a população urbana cresceu 33,4%. Saltou de 16.087 para 21.469 habitantes.
 
Outra forma de perceber a transição dos trabalhadores do setor do agronegócio para a indústria é na observação do impacto do crescimento imobiliário. Conforme Higuchi, há cinco loteamentos ao todo em Valparaíso. Ele cita o exemplo de um dos empreendedores do setor, que construiu 94 casas e, em praticamente três semanas, vendeu todos os imóveis, levantando mais 117 em seguida, dos quais boa parte foi vendida. Um novo empreendimento em construção vai oferecer mais 700 lotes, segundo Higuchi.
 
Números do Atlas Brasil 2013, do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), revelam que o percentualda população que vive em moradias com água encanada e energia elétrica chega a 99,37% e 99,61%, respectivamente.
 
Qualificação
A tecnologia no setor sucroalcooleiro para a colheita criou um desafio para o poder público local: a capacitação dos trabalhadores para novas profissões. No passado, o corte da cana chegou a empregar cerca de três mil pessoas.
 
De acordo com Higuchi, foram criados, em seu segundo mandato, iniciado em 2013, mais de 60 cursos de qualificação que formaram aproximadamente 400 novos profissionais. Essas ações tiveram parcerias com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e o Centro Paula Souza.
 
O prefeito conta que, atualmente, existem duas turmas em cursos de pesponto, uma no técnico de enfermagem e outra no curso de atendimento ao cliente. Cursos de logística e de álcool e açúcar estão com inscrições abertas.
 
Parceria com a Universidade Anhanguera-Uniderp mantém 600 alunos nos cursos de tecnólogo em logística e de nível superior à distância, como Letras, Pedagogia, Serviço Social, Administração e Ciências Contábeis. Os custos, conforme Higuchi, são baixos para os estudantes. As parcelas variam de R$ 90 a R$ 120. Usinas também têm parceria com a Prefeitura para capacitação. A cidade tem duas usinas sucroalcooleiras, uma indústria de calçados e outra alimentícia.
Conforme o Atlas Brasil, a taxa de desocupação de pessoas com 18 anos ou mais caiu pela metade na última década, de 12,62% em 2000 para 6,87% em 2010. Segundo Higuchi, havia déficit em relação ao emprego de mulheres, que foi resolvido com duas empresas de telemarketing que a Prefeitura conseguiu trazer nos últimos anos.
 
Município vai ter indústria de processamento de carne de aves
Para diversificar a atividade econômica, uma indústria de processamento de carne de aves está em fase de implantação em Valparaíso.
 
A unidade ficará na estrada municipal V.P.S-040.
O prefeito Marcos Higuchi diz que está praticamente tudo pronto, com o empreendedor já instalado no município, faltando apenas o licenciamento da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para a empresa entrar em atividade.
 
"Acreditamos que isso deva ocorrer dentro de dois a três meses", afirmou o chefe do Executivo.
A nova indústria deverá empregar em torno de 50 a 60 pessoas, mas a meta, segundo o prefeito, é de que ela contrate cem trabalhadores futuramente. Segundo Higuschi, há outros projetos para a atração de indústrias ao município, mas tudo em fase de negociação ainda.


Fonte: Folha da Região - Araçatuba/SP

 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •