Levantamento apresenta perfil de usuários da agricultura de precisão no Brasil

>
Levantamento apresenta perfil de usuários da agricultura de precisão no Brasil
Um levantamento da Embrapa traz o perfil do usuário da agricultura de precisão (AP). O estudo mostra que ele é jovem, instruído, propenso a utilizar mais tecnologia da informação e cultivador de grandes extensões de terras. Os resultados da sondagem serão apresentados no dia 15, na Embrapa Instrumentação (São Carlos), no seminário da Rede da Agricultura de Precisão, evento que faz parte da programação da III Convenção da Rede de Agricultura de Precisão, a ser realizada de 12 a 16 de maio.
 
Conduzido por pesquisadores da Rede de Agricultura de Precisão da Embrapa, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o levantamento foi realizado com responsáveis de 301 propriedades rurais das principais regiões agrícolas do Brasil, entre 10 de setembro e 13 de novembro de 2012. Questionários foram aplicados durante os seminários sobre Agricultura de Precisão, promovidos pelo Senar.
 
– Esse estudo desenvolvido pela Embrapa a partir do questionário aplicado durante os nossos seminários é de grande importância para o SENAR. Conhecendo melhor o perfil do produtor rural vamos atender de fato a demanda do setor. Vamos levar os cursos de capacitação aos produtores realmente interessados em agricultura de precisão – afirma o secretário-executivo do órgão, Daniel Klüppel Carrara.
 
O levantamento ainda apontou que o produtor rural leva em média quatro anos para adotar a técnica e que os principais produtos agrícolas cultivados com ferramentas de AP são soja e milho, seguidos pelas culturas do trigo e feijão. As propriedades variam de tamanho, de acordo com a região do país, sendo a menor acima de 250 ha no Sul e a maior, acima de 5.500 ha no Nordeste.
 
Para os organizadores da pesquisa, Ricardo Inamasu (pesquisador da Embrapa Instrumentação e coordenador da Rede de Agricultura de Precisão) e Alberto Bernardi (pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste), ainda que a amostragem possa ser considerada pequena, já traz informações relevantes para a condução de estudos sobre a técnica. O Brasil possui 5.204.130 estabelecimentos rurais, dos quais em torno de 83% (4.367.902 unidades de produção) pertencem à agricultura familiar. Outras pesquisas sobre o assunto foram realizadas anteriormente, mas com foco pontual em determinados estados.
 
Os dois pesquisadores afirmam que o levantamento mostrou que existe a percepção de que a adoção da AP pode aumentar a produtividade, o retorno econômico, a qualidade do produto e reduzir o impacto ambiental. Embora a sondagem tenha revelado que a AP está sendo empregada por grandes produtores, Inamasu acredita que é um equívoco considerar que o sistema é destinado só a esse grupo.
 
A convenção será aberta pelo diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Embrapa, Ladislau Martin Neto. O seminário é gratuito e aberto ao público. Os interessados em participar devem enviar mensagem para o endereço cnpdia.agricultura.precisao@embrapa.br.
 


Fonte: Embrapa

 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •