>
A oficialização da subvenção econômica para o setor canavieiro da região Nordeste, aprovada por deputados e senadores na Medida Provisória 635, depende da apreciação final da presidente Dilma Rousseff. A chefe do Planalto tem até o dia 20, para dar o aval ou vetar o benefício.
 
Dentro deste contexto, a União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) tem buscado apoio político para sensibilizar o governo sobre a questão. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) é um dos parceiros.
 
O parlamentar informou por telefone nesta quarta-feira (3), ao presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas, Lourenço Lopes, que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, é favorável a autorização da subvenção. A notícia foi repassada pelo líder canavieiro alagoano ao presidente da Unida, Alexandre Andrade Lima.
 
Além dessa informação, Lima revela que outra frente está trabalhando para buscar sensibilizar o governo federal sobre o pleito. O deputado Pedro Eugênio (PT/PE) está tentando articular uma agenda da presidente Dilma com os dirigentes da Unida.
 
O parlamentar falou ao presidente da Unida, por telefone nesta quarta-feira (3), que existe uma possibilidade de uma reunião com a presidente Dilma em Pernambuco, durante a sua visita ao Estado nos dias 13 e 14, ou depois, em Brasília. Aproximadamente 25 mil fornecedores e plantadores nordestinos de cana-de-açúcar, aguardam esperançosamente pelo sucesso do pleito.
 
Se sancionada, os canavieiros receberão R$ 12 por tonelada de cana fornecida as usinas da região, na safra 2012/2013, limitado até 10 mil toneladas.


Fonte: AFCP

 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Conteúdos Relacionadas