Currículo

>
Currículo
No Papel
Um bom currículo traz apresentação pessoal (nome, endereço e idade), formas de contato (telefones e e-mail), formação, objetivos profissionais, histórico profissional e habilidades técnicas (fluência em idiomas e conhecimento em informática, por exemplo).
Dicas para um bom currículo
Use uma fonte atraente, simples (as mais indicadas são Verdana ou Arial corpo 12);
Organize o currículo para facilitar a leitura do recrutador;
Tome cuidado com erros de grafia e gramaticais _pedir para outra pessoa ler ajuda a minimizar erros;
Em currículos em sistemas on-line (como o LinkedIn), é interessante fazer versões em português e em inglês, se tiver fluência nos idiomas
Ordem dos dados
Apresente-se colocando seus dados pessoais (nome, idade e endereço).
É imprescindível especificar seu objetivo, ou seja, mencionar em que área pretende trabalhar ou que cargo deseja assumir.
Em seguida, acrescente a formação, com destaque para cursos de nível superior e de pós-graduação (como MBA e especialização).
Após a apresentação vem o histórico profissional. Comece pela experiência mais recente, com detalhes como o período em que trabalhou em determinada empresa, cargos ocupados, responsabilidades e resultados alcançados.
Caso já tenha passado por inúmeras empresas, ressalte as passagens mais importantes e condizentes com o objetivo profissional.
Preciso escrever carta de apresentação?
Não. Ela foi muito utilizada há alguns anos, mas hoje não é imprescindível, especialmente se repetir o que é descrito no currículo. Alguns consultores aprovam fazer introdução em e-mail que será enviado para alguém específico.
É melhor padronizar o currículo ou personalizar para cada empresa?
O currículo pode ser adaptado de acordo com os objetivos em cada empresa. Nesse caso, é preciso destacar o que é mais importante para cada vaga e que habilidades e experiências são relacionadas ao objetivo profissional que foi especificado para aquela companhia.
O que é dispensável num currículo?
Número de documentos pessoais;
Fotografia;
Carta de apresentação;
Autoavaliação;
Número de filhos;
Ações descritas em terceira 3ª pessoa (desenvolveu, fez, colaborou);
Viagens a passeio;
Tabelas com dados;
Textos extensos;
Vocabulário difícil;
Opiniões pessoais sobre determinada empresa
Estado civil
Principais erros
Supervalorizar habilidades e experiências (como dizer que liderou um projeto do qual apenas participou ou transformar inglês intermediário em avançado);
Limitar o currículo a uma página quando se tem mais informações relevantes para que o selecionador conheça seu histórico profissional;
Encher o currículo com informações irrelevantes, apenas para dar a impressão de “volume”;
Dados e números confidenciais (podem ser deixados para a entrevista);
Usar fontes com firulas _prefira as simples, como Verdana ou Arial corpo 12
Fontes: Alexandre Attauah (Robert Half); Bruna Dias (Cia de Talentos); Carolina Ignarra (Talento Incluir); Krista Canfield (LinkedIn); consultores da Asap
 
Na internet
Currículo on-line deve ser igual ao de papel?
Na internet, o currículo pode ter mais informação do que no papel, mas deve manter a objetividade, afirmam consultores. Assim será encontrado por programas que buscam documentos por meio de palavras-chave.
Como a empresa pode buscar alguém com determinada experiência, vale citar palestras, cursos on-line e interesses.
Objetivos profissionais devem ser mais bem explicados _há palavras diferentes para o mesmo significado, como secretária presidencial e secretária bilíngue.
Pessoas responsáveis por clientes podem incluir os mais relevantes. Isso aumentará as chances de o perfil aparecer em uma busca por palavras-chave, segundo Krista Canfield, gerente sênior de relações públicas do site.
Fontes: Alexandre Attauah (Robert Half); Bruna Dias (Cia de Talentos); Carolina Ignarra (Talento Incluir); Krista Canfield (LinkedIn); consultores da Asap
 
Exemplo
O que deve ser exposto em cada tópico do currículo, segundo consultores.
Nome, endereço e idade.
Alguns consultores consideram não ser relevante informar estado civil e nacionalidade no currículo; outros orientam a incluir esses dados.
Contato
Telefones e e-mail
Objetivo
O candidato deve ser claro sobre o cargo que pretende ocupar, a área em que quer trabalhar e os projetos que deseja desenvolver.
Perfil profissional
Em forma de tópicos, descreva objetivamente atividades relevantes (como prêmios), seus pontos fortes e suas habilidades. Inclua de 3 a 6 tópicos, pois detalhes podem ser mencionados na entrevista presencial.
Se for jovem, detalhe aptidões profissionais e comportamentais para compensar a falta de experiência.
Formação
Informe nome de cursos que já fez (técnico com certificações, graduação, pós-graduação), nome das instituições, ano de conclusão do curso (ou de previsão de conclusão).
Idiomas
Liste apenas idiomas que conhece ou domina e informe o nível de conhecimento.
Exemplo: Inglês: leitura (fluente), escrita (intermediário), conversação (avançado)
Não é necessário colocar nome de escola ou nível em que está na instituição. Como não há um padrão entre as escolas, fica difícil para o avaliador estabelecer qual é o conhecimento da língua a partir dessa informação.
No caso de certificações de proficiência recentes, elas podem ser citadas, com a nota obtida.
Experiência profissional
Espaço para listar as empresas em que atuou (da atual para a mais antiga), o período em que ficou em cada uma, os cargos ocupados e as atividades realizadas (em forma de tópicos; no máximo seis).
É importante destacar realizações e resultados nos últimos empregos.
Profissionais com passagens por diversas empresas devem destacar as mais relevantes para o cargo pretendido. Se a empresa não for conhecida, mencione em que ramo ela atua.
Quem ficou fora do mercado por um período deve explicar o motivo. Não deixe lacunas de informação no currículo.
Referências profissionais
Alguns consultores recomendam incluir contatos de duas ou três pessoas com quem o candidato trabalhou e que possam falar sobre suas realizações e experiências.
Informações complementares
Se for o caso, incremente o currículo com informações como participação em grupos de discussão e atividades não profissionais, como hobbies, cursos complementares à formação, viagens internacionais e voluntariado.
Deficiência
Quem tem alguma deficiência deve especificá-la no currículo, tanto para aumentar chances em empresas que precisam contratar pessoas com esse perfil como para que a companhia se prepare para receber o candidato. Durante a conversa, o recrutador pode questionar sobre adaptações.
Fontes: Alexandre Attauah (Robert Half); Bruna Dias (Cia de Talentos); Carolina Ignarra (Talento Incluir); Krista Canfield (LinkedIn); consultores da Asap
 
Entrevista
Antes de ir para uma entrevista de emprego, é preciso se preparar. O essencial é fazer um balanço de objetivos e de qualidades e ter isso em mente, com clareza.
Informe-se sobre a empresa, o segmento em que atua e que produtos e serviços vende. Essas informações estão disponíveis no site da companhia. Pesquise também sobre a história da empresa e a situação de seu ramo de negócios.
Como se vestir para entrevista?
De maneira discreta e compatível com o ambiente de trabalho. Algumas empresas, como bancos e escritórios de advocacia, exigem trajes formais.
A maioria das companhias, porém, não exige formalidade. Segundo consultores, é melhor errar pelo excesso do que pela falta _é melhor se arrumar demais do que menos.
Algumas regras básicas são usar desodorante, evitar perfumes fortes e cuidar das unhas. Mulheres devem usar maquiagem e esmalte neutros.
Como agir na entrevista?
A entrevista é uma chance para candidato e empresa se conhecerem. O candidato deve prestar atenção às perguntas e respondê-las de modo calmo, firme e objetivo.
Para cada competência mencionada, é preciso citar dados que a comprovem _quem diz que é bom líder deve mostrar exemplos e resultados.
Aproveite a oportunidade para fazer todas as perguntas que desejar sobre a vaga e tirar dúvidas sobre o posto e a empresa.
Quais são os principais erros?
Dar respostas prontas e usar clichês, como definir perfeccionismo como seu maior defeito;
Falar mal de empresas em que atuou e de ex-colegas de trabalho;
Faltar sem avisar com antecedência;
Pedir salário exagerado, de mais de 50% do que recebe. É importante estar informado sobre a realidade do mercado e pedir, no máximo, 30% a mais;
Querer conduzir a entrevista em vez de responder aos questionamentos;
Faltar com a transparência quanto ao desligamento de empresas em que trabalhou. Quando o entrevistador vai checar as referências, a história nem sempre é confirmada pelos ex-gestores;
Perguntar sobre detalhes pouco importantes em uma primeira entrevista (como que modelo de celular a empresa oferece);
Demonstrar ansiedade em excesso, como ligar todos os dias para saber o andamento do processo
Posso ligar para a empresa se não receber resposta?
Sim. Na entrevista, peça uma previsão de prazo para preencher as vagas. Após esse período, se não houver resposta, pode-se ligar para a empresa responsável pelo processo de seleção.
Se o processo foi conduzido por uma empresa terceirizada, esta será responsável pela resposta, e não a empresa que oferece a vaga.
Fontes: Alexandre Attauah (Robert Half); Bruna Dias (Cia de Talentos); Carolina Ignarra (Talento Incluir); Krista Canfield (LinkedIn); consultores da Asap
 
 
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •